Pesto de capuchinha

Atualizado: Set 30



Outro dia preparei um pesto com as folhas da capuchinha e deu muito certo, fiquei com vontade de compartilhar com vocês. Pra quem ainda não conhece a capuchinha, Tropaeolum majus, é uma flor comestível que, apesar de ter um ar todo “delicado”, é muito rústica e bem fácil de cultivar. Aqui em casa a temos distribuída por todo o jardim comestível, em vasos, cobrindo o solo, junto com a batata doce, junto com a roseira... acho que me dou bem com ela. Não é exigente com a terra, pode ser semeada em qualquer época do ano, não sofre com a falta de rega e serve como cobertura de solo. Quando ela gosta, cresce rápido, vai trepando e se manifestando livremente.

Suas folhas, flores, botões, brotos e sementes são comestíveis. Tem sabor agradável, é picante e a flor tem textura aveludada. Sua água solarizada é deliciosamente picante e excelente para fazer banhos de proteção e contra psoríase. Seu nome Capuchinha vem de capuz, devido à forma de sua flor, que parece um capuz de padre… mas gosto muito de pensar que parece um chapéu de fada. No século XVIII, seus botões de flores já eram preparados em conservas de vinagre, da mesma forma como é preparada a alcaparra, conforme indica o livro The British Housewife (uma relíquia de 1770), da autora Martha Bradley. Seu uso é bem diverso, as folhas rendem este pesto picante, suas flores colorem saladas, saborizam manteigas, decoram bolos, entre outras possibilidades. Seu sabor lembra rúcula, mas tem um retrogosto floral muito característico.



Para o pesto usei folhas recém colhidas e servi com macarrão, finalizando com as flores frescas. Não coloquei todo o pesto no macarrão pois era um sabor novo para a família e, como alguns tem o paladar mais exigente, resolvi introduzir suavemente. Mas para nossa sorte o pesto de capuchinha foi aprovadíssimo e com certeza ousarei mais na próxima.


Hoje observo que ela virou uma planta que a maioria das pessoas reconhece principalmente suas flores como sendo comestíveis, esquecendo muitas vezes das folhas. Vamos cozinhar?


Pesto de Capuchinha


2 punhados de capuchinha

1/2 xícara de avelã (ou outra oleaginosa)

1/2 xícara de azeite

3-5 colheres de água gelada

Alguns raminhos de salsinha

Alguns ramos de manjericão

1 dente de alho

Suco de 1 limão

Pimenta-do-reino a gosto

Sal a gosto


1. Lave bem as folhas.

2. Triture todos os ingredientes em um pilão ou processador/liquidifcador.

3. Se for preparar no processador, basta processar todos os ingredientes até atingir uma consistência levemente homogênea. É normal ficar meio pedaçudo, afinal a proposta do pesto não é um molho super cremoso (tanto que antigamente era somente preparado no pilão de pedra ou na faca).

4. Sirva com macarrão e finalize com as flores frescas. O pesto pode ser guardado na geladeira por alguns dias e usado para acompanhar diversas refeições.



60 visualizações