Bolo de Santo Antônio

Atualizado: Jun 15


Ele existiu de verdade, nasceu em Lisboa e morreu em Pádua.

Por isso é conhecido como Santo Antônio de Pádua ou Antônio de Lisboa.

No candomblé, Santo Antônio é Ogum. Tem fama de santo casamenteiro no Brasil, mas em Portugal também é padroeiro da agricultura, dos pobres, dos marinheiros, pescadores, barqueiros, velhos, viajantes, das grávidas e dos animais.


O bolo de Santo Antônio


Tomei conhecimento que este bolo existia durante uma curta temporada em São Francisco Xavier no ano de 2012.

Foi bem no dia dele, 13 de junho, que uma moça da cidade me falou. Me contou que não era só um bolo, pois tinha que colocar um anel na massa.

Comecei a achar divertido.

- “Quem pegar o pedaço premiado, casa" - me disse ela.

Fui atrás de uma receita e logo descobri que a base era o amendoim, o resto agreguei ingredientes locais.


Tem dias que não sabemos que vai ser especial e este foi.

Contei da receita para duas amigas. Uma delas, a Maly, foi até o quarto e voltou com um anel nas mãos.

Assei.

Ninguém pegou o anel, mas demos boas gargalhadas. Diversão garantida.


Dois meses mais tarde, o bolo foi servido em um café da manhã no litoral baiano. Mas desta vez alguém pegou – foi tão surreal – e no mesmo dia tivemos um jantar de noivado. Comecei a achar que a receita tinha algo de mágico.


Se casar é bom eu não sei, mas a receita é fácil e divertida de servir.

Bom para fazer um bolo grande, em uma festa caipira. É um preparo pesado e energético que combina com o inverno. A farinha de amendoim é simplesmente perfeita, segura o anel sem deixar afundar. Ah! Tem quem use medalha no lugar do anel.

Use ovos caipiras de verdade, vale a pena!

Agora, se não quiser fazer a brincadeira do anel, prepare sem. Quando faço assim, ofereço o bolo para o querido Antônio, converso um pouquinho com ele e pronto.


Ontem experimentei veganizar a receita e deu super certo, te conto as duas e você escolhe qual gosta mais.


Dica: Antes de servir, corte o bolo em pedaços iguais.

Atenção: Se for servir para crianças pequenas ou pessoas muitos idosas, NÃO coloque o anel. Todos que forem provar o bolo precisam saber da brincadeira, combinado?

Lá vai!


Bolo de Santo Antônio - receita tradicional)

(confira versão vegan mais abaixo)


3/4 xícara de mel ou melado

70g manteiga pomada* (opcional)

3 gemas


1 xícara de farinha de rosca

1 1/2 xícara de farinha de amendoim**

2 colheres de chá de canela em pó

1 colher de sopa de açúcar demerara

1 colher sobremesa de fermento

1 pitada de sal

3 claras

1 anel

Modo de preparo:

1. Misture a manteiga com o mel e as gemas até ficar homogêneo, utilize um foeut ou uma batedeira para auxiliar. Aqueça o forno a 180 graus.

2. Misture as farinhas, a canela, o açúcar, o sal e o fermento. Adicione ao preparo anterior com a ajuda de uma espátula.

3. Bata as claras em neve e incorpore, delicadamente, na massa do bolo. Por último coloque o anel e mexa delicadamente.

4. Disponha a massa em fôrma untada e asse por cerca de 20-30 minutos ou até um palitinho sair limpo.

*Deixe a manteiga em temperatura ambiente, tem que ficar em consistência fluida e ao mesmo tempo firme.

** Se não encontrar farinha, triture o amendoim em um processador de alimentos.

Bolo de Santo Antônio sem ovos (vegan)

230 g de amendoim triturado

1 anel estilo aliança, sem pedra

80 g açúcar mascavo

60 g de polvilho doce

2 colheres de sopa bem cheias de farinha de rosca

5 colheres de sopa de melado

125 ml de água ou leite

1 colher de chá de canela

2 colheres de chá de fermento

1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de sopa de vinagre

1 pitada de sal

Modo de preparo:

  1. Preaqueça o forno a 180 graus.

  2. Misture os secos: amendoim, açúcar mascavo, polvilho, farinha de rosca, canela, sal, bicarbonato, fermento e anel.

  3. Em outro recipiente, misture os ingredientes molhados: melado e água.

  4. Adicione os ingredientes molhados nos secos e mexa bem, com uma colher de pau, incorporando ar na massa. Bata bem, não mão.

  5. Adicione o vinagre, mexa e disponha a massa numa fôrma já untada. Leve para assar por 30 minutos ou até um palitinho sair limpo. Espere esfriar e sirva.

Esta receita foi originalmente publicada no blog Prato de Papel, em 2012.

Ilustração: Rita Taraborelli

173 visualizações