• Eric Kataoka

Ora-pro-nóbis, um cacto PANC!


Ora-pro-nóbis: não parece, mas é!




Ora-pro-nóbis e lobrobó são dois dos diversos nomes pelos quais a Pereskia aculeata é conhecida. Tradicionalmente utilizada na culinária dos estados de Minas Gerais e Goiás, a ora-pro-nóbis é uma PANC (planta alimentícia não convencional) que tem se popularizado muito nos últimos anos. Com toda essa notoriedade, um fato que pode passar despercebido da maioria das pessoas é que a ora-pro-nóbis é um cacto!

Folhosa, com poucos espinhos e crescendo como um cipó, é bem diferente da imagem que temos em mente de um cacto típico, não é mesmo? Esse foi um estranhamento que tive quando ainda cursava graduação em Biologia, e vou compartilhar aqui um pouco do que aprendi sobre isso.


Biologicamente falando, a presença de folhas amplas na ora-pro-nóbis é considerada uma característica ancestral que, como o nome sugere, estava presente em muitos cactos ancestrais, mas atualmente está restrita aos membros do gênero Pereskia – apenas para comparação, existem cerca de 17 espécies de Pereskia, número bem pequeno em relação ao restante da família dos cactos (Cactaceae) que possui mais de 1400 espécies.



E como é que os outros cactos perderam as folhas? A resposta é: não perderam. A maioria dos cactos que conhecemos possui folhas diminutas, praticamente microscópicas, por isso não as notamos com facilidade; além disso, os espinhos são folhas modificadas. Entende-se que essas modificações reduziram drasticamente a perda de água para o ambiente, o que representou uma vantagem para ocupar ambientes áridos, por exemplo. Assim, ao longo de milhões de anos, representantes com folhas não modificadas foram se extinguindo, restando poucas espécies para os dias atuais, entre as quais está a Pereskia aculeata.


Outra característica típica dos cactos, mas ausente na ora-pro-nóbis, é o cladódio. Ele nada mais é do que um caule com capacidade de realizar fotossíntese, muito provavelmente em decorrência da modificação das folhas em espinhos, já que eles não são órgãos fotossintéticos. O cladódio, além de fazer fotossíntese, acumula muita água: outra característica vantajosa em ambientes áridos. Na ora-pro-nóbis, uma pequena reserva de água pode ser encontrada nas folhas levemente suculentas, o que verificamos na mucilagem, ou a popular “baba”. Aliás, essa suculência nas folhas é característica compartilhada com outras PANC proximamente aparentadas aos cactos, como a beldroega (Portulaca oleracea), major-gomes (Talinum paniculatum) e beterraba (Beta vulgaris).



Fotos: Rita Taraborelli

83 visualizações